Como compreender melhor os sonhos…

Para Jung (1994), a consciência nasce a partir do inconsciente e se desenvolve num intercâmbio constante, estabelecendo também uma função compensatória.

Isso significa que para o equilíbrio da psique como um todo é fundamental que se busque o diálogo entre seus conteúdos conscientes e inconscientes uma vez que, o contato com esse material nos torna cada vez mais conhecedores de nós mesmos, de nossas forças e nossas fraquezas.

Quando dormimos nos desligamos de um mundo consciente de impressões, sensações e julgamentos feitos ativamente pelo nosso ego, quando sonhamos, nos abandonamos ao mundo do inconsciente onde o ego em posição menos ativa, dá espaço a outros conteúdos e imagens que também fazem parte de nós e querem ser vistos.

Não faz muito tempo falamos de sonhos e de como eles são entendidos como a expressão da porção inconsciente da nossa psique. Para Von Franz (1992), eles seriam como a natureza em nós. Eles nada disfarçam, apenas falam numa linguagem simbólica, cuja compreensão é difícil para nossa mente racional, numa primeira leitura.

O fato de muitas vezes não compreendermos um sonho logicamente, não significa que ele não tenha em si, uma lógica. Quando começamos a decifrar os símbolos e as imagens contidos nos sonhos, por meio de associações do sonhador, percebemos como os símbolos são perfeitamente coerentes dentro da sequência de seu significado interno. É apenas uma lógica diferente daquela da consciência.

Tomar contato e compreender essa língua simbólica é como compreender uma segunda língua, que diz muito sobre nós mesmos. Essas a seguir, são dicas para a melhor Compreensão dos sonhos lembrando que essa prática é sempre um exercício, uma ferramenta para a reflexão e autoconhecimento, nunca uma sentença de significado.

Dicas para compreender melhor os sonhos

Anote os fragmentos dos seus sonhos quando sair da cama. Tenha sempre na mesa de cabeceira uma folha de papel e uma caneta. Personagens, paisagens, formas dos objetos, cores, etc. Escreva de um modo sistemático tudo o que lhe ocorrer, mesmo que lhe pareça desprovido de sentido.

2 Nunca se esqueça de que algumas imagens são mais acessíveis do que outras. Se o conteúdo de um sonho lhe parecer demasiado hermético, passe para o sonho seguinte.

3 Deixe-se guiar pela sua intuição, mas evite as interpretações demasiado rígidas.

4 Esforce-se por descrever o ambiente. Sentiu uma sensação de alegria, de medo? Relacione essas emoções com a sua vida quotidiana, as suas preocupações, as suas expectativas, a fim de descobrir a ligação entre a vida diurna e noturna.

 

Por:

Ana Carolina de Pinho Manzi

Psicóloga

CRP 06/91189